BLOG

SEG Talk sobre Higiene Ocupacional

Sempre com o intuito de compartilhar conhecimentos, estou iniciando uma nova série de entrevistas em meu canal do Youtube. O SEG TALK ou “Falando sobre Segurança” é uma conversa informal com profissionais da área de segurança, saúde do trabalho. Periodicamente,...

O MEI Precisará Enviar Dados de SST para o eSocial?

Como podemos ver, todos os empregadores e instituições que admitam trabalhadores como empregados (art. 3º da CLT) devem elaborar e implementar estes programas. Pois são aplicadas todas as regras trabalhistas e previdenciárias.

A Tabela 23 e o Fator de Risco “Outros”

A Tabela 23 do eSocial, que trata dos fatores de riscos do ambiente de trabalho, menciona o fator de risco “outros” que poderá ser utilizado em algumas situações específicas. Creio que muitos ainda não se atentaram a essa particularidade. Mas se observarem, no final...

O eSocial e o PPP

A partir do início do envio dos dados de Segurança e Saúde do Trabalho no ambiente do eSocial o Perfil Profissiográfico Previdenciário será elaborado de forma diferenciada. Alguns têm informado por aí que o PPP irá acabar outros ainda nem imaginam que haverá mudanças....

Análise Ergonômica dos Postos de Trabalho

A Norma Regulamentadora NR-17 determina alguns procedimentos a serem adotados com a intenção de propiciar que as atividades desenvolvidas nas empresas sejam mais ergonomicamente adequadas. A Análise Ergonômica é um dos mecanismos utilizados para alcançar esse...

O eSocial e os Profissionais de SST

Acredito que como profissional de segurança e saúde do trabalho você já deve ter ouvido falar que o eSocial tem como objetivo  coletar informações trabalhistas, previdenciárias e tributárias para envio a um ambiente virtual onde os mais diversos dados relacionados à...

Insalubridade

O adicional de insalubridade poderá ser aplicado aos trabalhadores expostos a riscos físicos, químicos ou biológicos citados na Norma Regulamentadora NR-15. Poderá incidir 10, 20 ou 40% do salário mínimo, dependendo do risco exposto. Quando houver a incidência de mais...

CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho

Alguns anos atrás houve várias ocasiões em que comentei com contadores e empresários que uma empresa, mesmo com poucos trabalhadores registrados, deve ter um designado de CIPA. Num primeiro momento, muitos disseram que uma empresa com poucos empregados não precisava...

PPRA – Considerações Importantes

O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais - PPRA é elaborado por profissionais de segurança ou medicina do trabalho[1]. É aplicável a todas as empresas, independente do número de empregados registrados. Recentemente, em uma conversa com um profissional de...

PCMSO – A base para os exames médicos ocupacionais

Geralmente, após a elaboração do PPRA, a empresa ou o profissional que o elaborou encaminha o Programa para um Médico do Trabalho que, por sua vez, irá elaborar o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional - PCMSO. Citado na Norma Regulamentadora – NR-7, o PCMSO...

Ordens de Serviço sobre Segurança do Trabalho

As Normas Regulamentadores do Ministério do Trabalho mencionam diversos documentos de gestão que os empregadores devem viabilizar, entre eles podemos citar: PPRA, PCMSO, PCA, PPR, PCMAT e a Ficha de Controle de EPIs. Porém, há um documento de gestão de segurança do...

CIPA x Designado

CIPA  X   Designado de CIPA Em muitas empresas de pequeno porte, quando digo que devem providenciar o Designado de CIPA, o gestor comenta que não é necessário devido ao pequeno número de trabalhadores registrados na empresa. É importante esclarecer que, de acordo com...

1
Olá, como podemos te ajudar?
Powered by